“As never before!”

An Insight
into your
organization

Atlas
Este projeto visa dotar as organizações com uma maior capacidade gestão e planeamento do seu IT, sustentadas numa maior capacidade de previsão da evolução do IT, possibilitando assim maior capacidade de planeamento e maior tempo para a tomada de decisão.

A solução que propomos tem capacidade de prever da evolução do IT (entenda-se como será o IT da organização no final de cada mês, nos próximos 24 meses), através da visão agregada de duas vertentes de mudança:

A transformação do IT
planeada pela própria organização, materializada fundamentalmente no pipeline de projetos de IT em curso e previstos.
A transformação não planeada do IT
mas que cresce inevitavelmente com o passar do tempo. Esta transformação materializa-se em diversas formas, nomeadamente a obsolescência, a redundância e o desajuste de capacidades.

Atlas em Ação

Neste projeto a Link propõe-se desenvolver o Atlas, uma solução que visa simplificar o processo de criar e manter a Arquitetura do seu IT, com um esforço mínimos comparativamente ao que lhes é possível hoje. Este projeto visa o desenvolvimento de uma nova plataforma de gestão de IT na Cloud, que permite importar informação residente em diferentes fontes de informação na organização, mas cuja consolidação é fundamental para uma visão integrada e gestão do IT:

Editar Informação

Editar a informação
no Atlas;

1. EDITAR INFORMAÇÃO
Gerar
Gerar vistas
arquiteturais navegáveis;
3. Gerar
Editar Regras
Editar regras de alinhamento
entre o IT e o negócio;
2. EDITAR REGRAS
Executar, Adquirir e utilizar
Executar análises sobre os dados carregados; adquirir modelos arquiteturais do catalogo fornecido pela Link e usá-los na sua arquitetura e do ponto de vista da Link Consulting.
4. EXECUTAR, Adquirir e utilizar

Solução

O projeto IT Atlas pretende criar uma solução multitenant, na cloud, possibilitará uma gestão de catálogos de serviços da Link Consulting, definirá vistas arquiteturais avançadas e modelos de capacidade, de obsolescência e da redundância, suportará o carregamento e a publicação para venda de catálogos dos artefactos dos fornecedores, será um suporte para a prestação de serviços de planeamento e gestão e infra-estrutura e disponibilizará todas as funcionalidades do utilizador. Um dos aspetos centrais desta gestão da infra-estrutura é a migração dos sistemason-premises para a cloud e entre os diferentes fornecedores de cloud.

Poderá também ter diferentes análises tanto ao nível da completude e governo da Arquitetura como ao nível da gestão operacional. Finalmente, poderá ainda adquirir modelos da tecnologia prontos a usar na sua arquitetura, e mantidos atualizados pela Link, acelerando assim o esforço de realização e manutenção das arquiteturas dos seus projetos. Poderá ainda adquirir serviços de gestão do seu IT à Link, realidade que a Link poderá conhecer através da própria solução.

Objectivo

O objetivo do projeto IT Atlas é criar uma solução que um lado permita às organizações beneficiarem de uma maior capacidade gestão e planeamento do IT com uma redução significativa do esforço, como por outro lado permita à Link ter uma maior capacidade de escalar o negócio tanto na venda artefactos arquiteturais como na venda de serviços de gestão do IT

Funcionalidades

Indo a detalhe um pouco maior nas funcionalidades, do ponto de vista do cliente, a solução deverá permitir:

Edição de informação.

Independentemente capacidade de importar informação, esta poderá ser introduzida, em todo ou em parte, diretamente na interface web da solução.

Usar os conectores disponíveis...

1. Usar os conectores disponíveis para importar informação residente em diferentes fontes de informação na organização, mas cuja consolidação é fundamental para um visão integrada e gestão do IT:
• Informação sobre a infraestrutura das organizações residentes nos seus sistemas de gestão da infraestrutura.
• Informação sobre ao pipeline de projetos residentes nos sistemas de gestão de projetos.
• Informação sobre os principais componentes que cada projeto se propõe realizar. Esta informação consiste fundamentalmente em listas de artefactos existentes em documentos word, excel, mas poderá também existir em ferramentas de modelação como o Archimate.
• Modelos de detalhados de arquitetura e engenharia dos artefactos a desenvolver nos projetos. Estes modelos podem ser modelos em Archimate em BPMN 2.0, entre outros.
• Informação sobre estrutura da organização

Edição de Regras de alinhamento entre o IT e o Negócio

Edição de Regras de alinhamento entre o IT e o Negócio, nomeadamente entre:
• A Arquitetura de Processos e a Arquitetura de Sistemas
• A Arquitetura de Processos e a Arquitetura de Informação
• A Arquitetura de Sistemas e a Arquitetura de Informação
• A Arquitetura de Sistemas e a Arquitetura de Tecnológica
• A Arquitetura de Informação e a Arquitetura de Tecnológica

Geração de vistas arquiteturais navegáveis...

Geração de vistas arquiteturais navegáveis, como por exemplo as que estão no standard TOGAF e /ou as viewpoints do Archimate. Independentemente capacidade de importar informação, esta poderá ser introduzida, em todo ou em parte, diretamente na interface web da solução.

Execução de análises sobre os dados carregados...

• Conformidade de modelos arquiteturais relativamente a normas e standards:
• TOGAF (TRM & Content Manager)
• Princípios Arquiteturais (TOGAF ou outros)
• Conformidade relativamente a Regras previamente definidas
• Numéricas, apresentadas em Dashboards com os principais indicadores associados à gestão dos sistemas de informação e à gestão da infraestrutura.
• Análises de impacto e cenários what-if, a realizar sobre os elementos das várias arquiteturas.
• Análises de obsolescência, redundância e capacidade tendo em conta as transformações planeadas e não planeadas, e relativas a uma determinada data.
• Análises comparativas de serviços e custos entre determinados fornecedores de elementos de um determinado modelo, para tomada de decisão.
• Análises de custeio do IT tendo por base os fatores de custo associados aos elementos arquiteturais.

Nas Organizações

Antever a evolução provocada por cada um destes fatores é por si só bastante complexo, em particular em organizações complexas, como são as de serviços. Tradicionalmente as empresas do setores financeiros, seguros, retalho, telecomunicações, utilities e ainda da administração pública, são organizações fortemente sustentadas no IT, sendo normal terem várias centenas de sistemas de informação, sobre os quais anualmente são realizados outras várias centenas de projetos de transformação envolvendo muitas centenas de pessoas. Valores típicos para empresas médias destes setores são:

Sistemas

Projetos

Pessoas